Pesquisar este blog

domingo, 31 de agosto de 2014

RAZÕES PELA QUAL DEIXEI DE USAR UBUNTU E DERIVADOS


Recentemente deixei de publicar neste blog por uma razão muito simples estava muito contrariado com o desempenho do Ubuntu e derivado no caso o xubuntu que estavam instalados em minha maquina e experimentei o xubuntu, empolgado cheguei a publicar um post no qual explicava as razões de gostar desta distro, entretanto os defeitos não eram apenas na interface mais era uma coisa um pouco mais conjuntural, o Ubuntu vem avançando rápido demais e com base apenas em arquitetura i686 no caso do 32 bits o que tem causado desligamento abrupto em alguns processadores mais lentos o que inclui o atom N550 do meu netbook, e os problemas com estabilidades são inúmeros, acho que o Ubuntu hoje está mais instável que a versão debian Unstable ou seja a SID que contém apenas pacotes para utilizadores experientes para testes de desenvolvimento, ou seja parece está havendo uma incoerência de se lançar uma distro amigável com este conjunto de pacotes na base, cheguei a conclusão que a distro dos sonhos seria um ubuntu com todas as sua facilidades mais com uma base de pacotes mais estável, e sobretudo com suporte a uma arquitetura opcional i486 no caso do 32 bits.
O ubuntu parece ter virado as costas para alguns dos valores defendidos pelo linux como por exemplo a defesa do meio ambiente oferecendo suporte a maquinas antigas para que estas demorem a ser descartadas gerando menos lixo eletrônico, isso foi claramente retirado ao adotar a arquitetura descrita acima e a pesada interface Unity, por isso se você tem alguma experiencia em utilizar linux e não quer investir muito na compra de um novo hardware, utilize debian distro na qual estão as bases do Ubuntu e que mantém os valores de suporte e estabilidade defendidos originalmente pelo linux.
A diferença primordial é a utilização do terminal que não se utiliza o termo sudo mais su e o terminal pede a senha e passa a exibir um terminal root puro, no resto a sintaxe é praticamente a mesma do ubuntu, e ter o cuidado de após a utilização fechar o terminal ou digitar exit para sair do  modo root.
O debian pode ser obtido aqui nas versões 32 e 64 bits no caso do 32 bits com suporte a arquitetura i486 isenta de desligamento abrupto em processadores de menor capacidade como os da série atom e outros tão populares em netbooks, bastando para isso escolher esta opção no grub durante o boot, ou modificar o grub para que está seja a opção default.
Já estou preparando alguns posts de como instalar versões novas de programas como firefox, chrome e libreoffice no caso as mais recentes no debian wheezy, passei todo este tempo sem postar exatamente achando um solução e agora por exemplo estou utilizando debian wheezy e escrevendo este post no chrome 37 ou seja hoje a versão estável mais recente e estou com o libreoffice 4.2.6 instalado e funcionando e tudo isso de forma muito estável como nunca ocorreu no ubuntu, vou repassar em breve este conhecimento a todos que acompanham este blog.
Outra opção interessante me parece ser o linux mint debian, que ao contrário do que muita gente pensa não é baseado no Ubuntu, mais no debian testing, uma versão considerada para os padrões debian um pouco mais instável mas com pacotes bem atualizados, já presentes na própria distro, entretanto apenas esclarecendo como os padrões de estabilidade do debian são muito rígidos é uma distro infinitamente mais estável que o ubuntu, bem amigável e atualizada, logo uma excelente opção que também vou abordar, e pode ser baixada aqui.

9 comentários:

Denner Peterlini disse...

Fez uma boa troca Hugo, pode ter certeza.

Idelvan Rodrigues disse...

Já faz um bom tempo que não uso Ubuntu pelo mesmo motivo citado por vc neste post (instabilidade), desde adoção do Unity pra mim não foi mais viável o uso do Ubuntu no meu dia dia. Usei por um bom tempo o Fedora 17 que pra mim estava ótimo, porém quando migrei para o Fedora 18, tive muitos problemas, atualmente uso o 20, mas continua muito instável, principalmente na parte do gerenciamento de energia, meu note tem uma placa Radeon HD 7550M, e infelizmente a amd não tem sido tão “generosa” com o mundo Open Source tanto o quando a Nvidea, sem esse drive o notebook simplesmente desliga devido superaquecimento. A cada dia encontro mais e mais motivos pra migrar uma distro mais estável como Debian.

Idelvan Rodrigues disse...

Há quanto tempo você usava Ubuntu Hugo? Lembro que em 2008 quando estudava em Elesbão, Erisvaldo já me falava que você usava essa distro.

Hugo Bastos disse...

É senhores ando meio sem tempo para postar, entretanto acho sim que foi uma boa escolha e talvez por estes dias estaj lançando um post sobre o linux mint debian edition.

Wagner A. de Souza disse...

Já pensei em mudar para o Debian, mas não consigo fazer a maldita SIS Mirage 3 funcionar nele.

kenedi disse...

Meu caro Hugo, parabéns pelo blog, acompanho desde do ubuntu 10.04, em uso da SIS, bom hoje uso Debian 7 com bom desempenho com essa dica aqui:
http://gravitacoes.com/posts/instalando-o-driver-de-video-sis-no-crunchbang-ou-no-debian-wheezy/

Espero que isso ajudo os eleitores de seu blog!
abraços

sucessoforever disse...

Olá amigo, estou usando o mint lmde mas não consigo fazer a sis 671 funcionar. Você teria alguma dica para mim? Já tentei várias dicas pela net mas nenhuma funcionou....

Wagner Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wagner Andrade disse...

kennedi, obrigado pela dica, funcionou.

sucessoforever, veja se esta dica te ajuda.
http://blog.wagner-souza.com/2015/01/novidades-sobre-sis-mirage-3-no-ubuntu.html