Pesquisar este blog

terça-feira, 24 de maio de 2011

SOLUÇÃO BUG DO CD DE AUDIO NO UBUNTU 11.04


O ubuntu 11.04 esta pagando o preço, por ser a versão mais revolucionária que já peguei do ubuntu, e descobri hoje mais um bug chato que pelo menos na minha configuração de hardware apareceu de forma devastadora, que foi quando tentei ouvir um cd de audio que tinha acabado de gravar no k3b e rodava perfeitamente em outros cd players e dvds da casa testei outros cds de audio e nada, tente montar pelo terminal e a resposta era que não havia faixa de audio em /dev/sr0, e quando se colocava o cd de audio nada acontecia e sequer o ubuntu pedia para com que programa abrir como ocorre normalmente, ate agora não tinha rodado cd de audio por isso desconhecia o bug, mais encontrei a solução e a implementaçao é bastante simples consiste em dois comandos no terminal, para corrigir, abra um terminal e digite:

sudo modprobe sr_mod

clique em enter e depois no mesmo terminal digite

ln -sf /dev/sr0 /dev/cdrom

clique em enter e reinicie o computador

coloque o cd de audio no driver e o ubuntu deve abrir a janela agora perguntando qual programa utiliza para abrir a mídia

26 comentários:

Anderson Henrique disse...

Eu já tinha ouvido falar desse bug em alguns blogs, mas ainda bem não ocorreu comigo, já coloquei alguns CD's aqui e nunca ocorreu nada.

Hugo Bastos disse...

Por isso que eu falei no post em minha configuração de hardware,pois determinados bugs ocorrem em um harware em outros não.

Anderson Henrique disse...

Ei, Hugo, estou com um grande problema aqui. Desde que instalei o Ubuntu 11.04, no alpha 3, ele não encerra o computador completamente, é necessário apartar o botão power do notebook. Você tem alguma ideia do que pode ser?

Hugo Bastos disse...

É porque você exatamente instalou do alpha 3 e de la para cá as mudanças nas configurações são grandes e isso quase sempre acarreta erros na interface, para ver se é isso mesmo veja se ele desliga totalmente abra um terminal e digite o seguinte:

sudo init 0

clique em enter e veja se desliga totalmente.

Anderson Henrique disse...

Mas Hugo, a cada nova versão, eu fazia uma instalação limpa. E quanto ao comando não funcionou.

Hugo Bastos disse...

deve ser mais um bug no blog todos que estão apresentando em minha máquina estou buscando solucionar e postar a solução, mais esta versão esta pagando o preço por ter sido tão revolucionária, caso tenha a solução mande a solução por e-mail que posto no blog.

Felipe disse...

Mas eu não entendí nada, do que estão comentando, que raios.

De toda forma, Hugo deu uma ida no site da SiS esses dias, está com visual novo, será que vão renovar mais coisas? Sabe tipo a política de drivers, a meu Deus.

Bem que o Barros Lee podia ser empregado pela Intel e dar um tapa no driver que eles mantém.

PS: que alpha é esse que falaram aí? Algum programa novo?

Felipe disse...

Mas eu não entendí nada, do que estão comentando, que raios.

De toda forma, Hugo deu uma ida no site da SiS esses dias, está com visual novo, será que vão renovar mais coisas? Sabe tipo a política de drivers, a meu Deus.

Bem que o Barros Lee podia ser empregado pela Intel e dar um tapa no driver que eles mantém.

PS: que alpha é esse que falaram aí? Algum programa novo?

Hugo Bastos disse...

Não Felipe é que muitas vezes quando se instala o ubuntu muito cedo, sobretudo se não é do zero,ou seja formatando a partição, e ainda em alpha por exemplo costuma ter uns bugs estranhos, por isso que recomendo instalar a versão do ubuntu após o primeiro beta, e nunca vi tanto bug como nesta versão 11.04, em razão de seu pioneirismo, muitas coisas foram introduzidas nela e vão estar mais estáveis no 11.10,que sai em outubro de 2011 e já tem o primeiro alpha já em junho, nunca tive que fazer três post seguidos de solução de bugs, já estou vendo uma solução para o bug no não desligamento, quando clica para o ubuntu desligar e ele permanece ligado eternamente, este bug me atingiu parcialmente, ou seja na primeira tentativa nada, ordena o desligamento novamente e la vai o sistema desligando.

Felipe disse...

Ah, agora entendí, estão falando do alpha do próprio OS, mas por que raios alguém se mantem com o alpha mesmo tendo saído o relíse final?

Felipe disse...

Hugo tem três programas que conheço para mediar o sinal wireless no Ubuntu, são eles:

RutiLT, Wicd, Wifi Radar, todos estes instaláveis via central de programas, mas nenhum é em tempo real como o vistumbler para Windows, conhece algum para me indicar que reporte o sinal em tempo real.

No WiCD tem uma lista infindável de redes aqui, e ele leva uns 4 segundos para atualizar, o que não é automático e tem de se ficar clicando num botão para tal, visto que uso um adaptador usb na extremidade do cabo de 5m para pegar o sinal num local mais "quente", pois de outra forma sem me valer desse "quebra-galho" não ia ter acesso, pois além do sinal ao nível que o note fica ser baixo, a placa onboard é uma RTL8187SE, ou seja se dependesse desta aí era roça total.

Chega ao cúmulo de ter de me logar no Windows só para poder achar a posição adequada, sabe o povo mexe no adaptador aí já viu o drama.

Como moro perto de uma rua movimentada, pela manhã com o tráfego o sinal fica muito ruim, daí então tem de se achar um lugar que o sinal fique mais estável mesmo que menos intenso.

Conheçe algum soft do tipo?

Hugo Bastos disse...

Essa placa interna wireless da realtek realmente consegue ser ainda pior que a placa de video sis, pois ela consegue decepciona no windows e no linux também,eu tenho ela também e so consigo conectar de forma decente com adaptador usb externo eu utilizei durante algum tempo em uma versão do ubuntu que não media o sinal na barra, pois no 11.04 o que aparece na barra superior ao conectar pelo menos no 3g não é um icone é a medida da intensidade de sinal real, O wicd é um programa muito bom mais tem uma opção mais simples e em tempo real caso esteja utilizando o gnome interface tradicional sem o unity, que é habilitar a applet monitor de rede na barra superior Clicar com botão direito na barra superior \ adicionar ao painel \ monitor de rede.E depois configurar para monitorar a interface da placa de rede geralmente wlan0.

Hugo Bastos disse...

Fique com o wicd mesmo pois nesta versão a applet que monitora a rede, não ver intensidade de sinal e sequer vem instalada por default.

Anderson Henrique disse...

Felipe, eu não mantenho o alpha 3 aqui, só estou dizendo que desde que usei o 11.04 pela primeira vez, no alpha 3, já tinha esse problema.

Anderson Henrique disse...

Felipe, Hugo, já pensaram em utilizar o Ndiswrapper? Tem nos repositórios do Ubuntu, e por ele se pode instalar o driver para Windows da placa em questão.

Hugo Bastos disse...

Já tentei e na versão passada 10.10 até que deu bastante certo utilizando o driver do xp e com o gui do gnome, ndisgtk também disponívelnos repositórios e que facilita muito a configuração e instalação, nesta versão ainda não tentei pelo complicador chamado unity, mais vou verificar o seu funcionamento em breve.

Felipe disse...

@ Agora ficou claro, e que tinha saído meio confuso essa conversa, agora me achei.

Felipe disse...

Agora quanto a questão de problemas eles afetam ainda mais os novatos exemplo, no Baixaki (no tira-dúvidas de lá) tem um pouste ( http://www.tecmundo.com.br/tira-duvidas/138086 ) que pergunta justamente como resolver aquele outro problema com o bluetooth, pequenos deslizes que inserem na cabeça do usuário que além de "não-pronto para uso" a de que o Linux é bugado, vamos ver mais e mais coisas como essas se o Ubuntu continuar a aparecer como uma opção viável, por isso esse tipo de coisa parace ser falta de polimento, ainda mais como afirmado pelo Henrique de que desde o Alpha 3 isso já estava aparente.

Se por um lado o Linux fica sem uma empresa responsável, por outro podemos remendar por conta até que a solução oficial apareça, pelo menos.

Mas aproveitando para falar de bugues, achei o Firefox do Natty um certo quanto piorada em comparaçao com o da versão para Windows.

Tive um problema de rolar a barra de abas para esquerda indo em direção a da extrema direita, a barra para antes da última aba, que só consigo acessar criando uma aba novo posterior a ultima a qual não tenho acesso via botão + lá na, nem sei como chamar, não é mais barra de títulos só, nem o termo certo eu sei, de toda forma só criando a nova aba fazem a barra de abas jogar o foco sobre esta posteriormente criada me permitindo ter acesso à aba anteriormente última a qual não tinha acesso.

Outro coisa que não me agrada é a mudança da cor do botão laranja para aquela cor cinza, além do ícone chamador da janela (que mais parece uma caixa) de downloads lembrar-me quase nada que seja associável à downloads.

Também já começou a pingar alguns temas do Gnome 3 no Gnome look, quero ver como vão lidar com os do Unity se é que não o irão ignorar.

E quanto a questão do Henrique de usar o Ndiswrapper, nunca usei, ainda, a questão não é por para funcionar, o que me vem a cabeça é como tirar depois caso necessário, dado que não sei como é que o soft funciona.

Sei de caso de gente que usou Wine com certos aplicativos e acabaram com o desktop comprometido, com ícones "alienígenas" no desktop que teimavam e não sair, daí a relutância que acabo tendo.

Hugo Bastos disse...

Felipe esta versão 11.04 é uma versão naturalmente bugada mesmo pois é penultima versão antes da próxima LTS, em que as novidades mesmo verde são empurradas para madurecer na versão 11.10 e a próxima LTS conhecida versão estável de longa duração será a 12.04, se quiser estabilidade baixe a ultima versão LTS do ubuntu e faça todas as suas atualizações.

Felipe disse...

Não Hugo, não estou descendo a xincha no Natty, só estou expondo algumas impressões, até porque gosto do sistema e quero saber se alguém achou o mesmo e tem alguma sugestão para compartilhar de como melhorá-lo nos pontos que citei.

Felipe disse...

Até porque Ubuntu é a única chance de um sistema Opensource de verdade ir para o mainstream e dominar, e se chegar lá nunca mais um sistema proprietário assume o controle da massa de novo.

100% Ubunturo e xiita.

Hugo Bastos disse...

Felipe, logo vi que teu espirito era de harduser, os que buscam versão LTS não gostam de fortes emoções como a gente pois o linux abre inclusive esta escolha, sistema estável ou fortes emoções você escolhe eu prefiro a segunda opção, esta na ponta desenvolver e arriscar, mais para os que não gostam de fortes emoções basta ir a pagina do daily do ubuntu 10.04 ultimo LTS no endereço abaixo e fazer o download da imagem já com todas as atualizações até a presente data.

http://uec-images.ubuntu.com/desktop/lucid/current/

copie e cole na barra de endereço do navegador

Felipe disse...

Bom saber que posso baixar um build já com tudo incluso essa vai para as bookmarks.

Hugo, tenho uma questão que apareceu aqui, o nosso Ubuntu suporta tabelas de partições GPT, logo posso ter 2000 partições (sengundo apurado) acabando com a questão de partições primárias, lógicas e extendidas.

Agora a porcaria do Windows 7 não aceita, tem um modo híbrido sem-vergonha que só o próprio Windows aceita, tem alguma info a respeito disso? Em especial como contornar esse Windows 7 infernal de modo que se possa usar uma tablela GPT pura que aceita sistemas além dos da Microsoft? Incluindo o próprio Windows 7 dos infernos.

Pois veja, salvo conteúdo via Ubuntu na partição NTFS (leiaute engeçado) mas o POSIX style do Linux salva arquivos que se tornam inacessíveis no Windows, dessa forma não dá para acessar, mexer nem deletar as coisas via Windows.

Porém quando entro no Ubuntu, não consigo diferenciar o que é conteúdo criado num sistema e noutro, dado que é muita coisa, daí a necessidade de organizá-los.

Visto que a coisa está beirando o caos vou criar uma outra partição de dados só para Ubuntu para evitar esse tipo de problema com arquivos a la POSIX.

Porém tenho já 4 partições primárias, 1 NTFS (Windows 7), 1 NTFS (arquivos de usuários), 1 Ext4 (Ubuntu), 1 swap.

Deus que me livre criar uma lógica e extendídas isso já fiz lá muito tempo atrás com slackware e já tive problemas com utilitários de disco, foi dose.

Soma-se a isso que posso vir a experimentar o Google OS que deva sair este mês, precisava de um sistema GPT propriamente dito, pois além das partições lógicas serem mais frágeis na minha singela opinião, engessam meu leiaute e o que acaba levando a cenários com leiautes excêntricos, isso já me aconteceu, dose(2).

E para além disso, um dia o Windows vai ser sacado fora da equação aqui e com GPT fica até mais fácil limar um SO depois que não o queremos.

PS: Usei o chromium aqui e olha apesar de rápido não tem nem de longe a estabilidade do velho Firefox, quando se abre muitas abas o crash é inevitável.

Felipe disse...

Retificando GPT permite 128 partições.

Hugo Bastos disse...

O GPT é uma modernização desenvolvida pela intel do antigo sistema MBR, entretanto é destinado a computadores sem bios ate agora os únicos computadores que já saem de fábrica nestas condições são os da apple, em tese pode-se utilizar da forma que você descreveu com 128 partições em um computador da apple dos mais modernos.

Felipe disse...

Bem pelo que lí o padrão GPT é uma scheme de tabela, independente e autosuficiente do sistema de Input/Output do sistema e pode ser implementada em computadores com BIOS, não é necessário um computador com EFI ou UEFI para implementá-la.

Os passos necessários achei no site do criador do gdisk (um fdisk de partições GPT) que se chama Rod Smith, tudo em inglês, ele também ensina como hibridar, nas palavras dele, uma partição GPT para permitir uma dupla-inicialização Windows 7 e Ubuntu numa scheme usando GPT, na próxima reinstalação que fizer do Windows eu vou implementar, tem seus riscos, mas isso se deve a algumas utilitários e ferramentas de disco antigas que podem vir a deturbar os ajustes na GPT, mas como vou usar uma única ferramenta essa dele, acho que não vou ter problemas, o que temo é que a Microsoft mais para frente possa mudar o sistema de arquivos para Protogon como os rumores na web dizem e que ao fazê-lo no próximo Windows acabe por adicionar alguma rotina que interfira e altere minha GPT.

Site do Rod Smith.
http://www.rodsbooks.com/gdisk/

Site na Wikipedia sobre uma partição de inicialização de BIOS na GPT:

http://en.wikipedia.org/wiki/BIOS_Boot_partition
(ela não está no padrão e é um workaround da comunidade opensource, ou seja nossa.

Você citou os MAC's, nos MACintel com Windows, o sistema não é um GPT puro é hibridado, vê se pode! Essa Apple fazendo graça, culpa da Apple por não usar um GPT padrão.

A GPT tem um MBR válido chamado de protetivo que serve para sinalizar para ferramentas antigas do padrão MBR que o disco está em uso e não está livre para proteger a extrutura GPT de ser danificada por aplicativo antigos que não reonhecem o novo padrão.

Se valendo dessa MBR que é válida dentro da extrutura da GPT se pode instalar e dar boot no Windows 7 através dela e como o Windows lê e acessa e grava partições de dados no padrão GPT, confirmado no site da Microsoft aqui (http://msdn.microsoft.com/pt-br/windows/hardware/gg463525) só não dá boot através de uma GPT, tirando isso pode usar as partições na GPT normalmente.

O tal Rod trabalhou na IBM pelo que apurei.

A GPT tem uma extrutura de registro das partições duplo no começo e no final o que adiciona redundância que a MBR não tem, além de ser multi-plataforma como bem apontado por você, e conta também com CRC.

Se a Microsoft fizer o Windows 8 inicializar numa GPT seria a saída ideal, pois o fato de ela não dar boot a partir de uma GPT mas suportar a leitura e gravação em partições que não a de boot revela que foi uma escolha deliberada de impedir que o Linux e semelhantes pudessem ser postos juntos com o Windows de maneira ainda mais facilitada.

Se não me acredita os links teem toda a documentação.

Por ter mais contato com GPT's hibridas o povo do MAC tem bastante material a respeito também.